sexta-feira, 9 de junho de 2017

19ª RAIB - ECTIMA CONTAGIOSO EM UM REBANHO OVINO E TRATAMENTO COM AUTO-HEMOTERAPIA OU IODO


Nesse rebanho, foram testados a autohemoterapia e aplicação da solução de iodo (10%) e glicerina, a cada 48h.


VERÍSSIMO, C.J. & KATIKI, L. Instituto de Zootecnia, 
Rua Heitor Penteado, 56, CEP 13460-000, Nova Odessa, SP, Brasil. 
E-mail: cjverissimo@iz.sp.gov.br Orf virus in a sheep flock and treatment with autohemotherapy or iodine.

Foi observado um surto de ectima contagioso em um rebanho ovino na região de Campinas, SP, em março de 2006, 6 anos após um primeiro surto. O tratamento, muito laborioso, necessita de tempo e mão-de-obra, e consiste em aplicações locais de solução de iodo e glicerina líquida em partes iguais, por 2 a 3 vezes ao dia, diariamente, até a remissão dos sintomas. Nesse rebanho, foram testados a autohemoterapia e aplicação da solução de iodo (10%) e glicerina, a cada 48h. A autohemoterapia consiste em retirar 5 mL de sangue venoso e injetá-lo imediatamente no próprio animal por via IM profunda, para estimular o sistema reticulo-endotelial e induzir o aumento de macrófagos no organismo. O tratamento deve ser repetido semanalmente até a remissão dos sintomas. Quatorze ovelhas receberam o tratamento de autohemoterapia, 16 receberam aplicação de glicerina iodada a cada 48h. Do grupo que recebeu autohemoterapia, 14,3% dos animais apresenta- ram cura uma semana após o tratamento, e 85,7% na segunda semana. Do grupo que recebeu glicerina iodada a cada 48h, 25% curou-se na primeira semana, e 93,75% na segunda semana. De um modo geral, para os dois tratamentos houve melhora acentuada na primeira semana e regressão total das lesões em duas semanas. Alguns animais (14,3% do grupo da autohemoterapia e 6,25% do grupo da glicerina iodada) tiveram remissão total dos sintomas em 3 semanas. Nenhum animal de ambos tratamentos apresentou piora do quadro. Foi necessário repetir o tratamento da autohemoterapia, uma semana após o tratamento inicial, em dois animais, devido à extensão das lesões. Com relação ao surto, foi observado que teve duração de dois meses, acometeu cerca de 50% do rebanho de 450 animais, os adultos foram mais acometidos que os jovens, os das raças Suffolk e Ile de France tiveram feridas mais graves do que os Santa Inês e Morada Nova. Não foi observada nenhuma morte causada pelo vírus, porém, um animal morreu por complicações oriundas de bicheiras nas lesões. Conclui-se que para o tratamento do ectima, aplicações de iodo a cada 48h ou aplicações semanais de autohemoterapia são eficazes na regressão das lesões.

Secretaria de Agricultura e Abastecimento - Governo do Estado de SP

INSTITUTO BIOLÓGICO (IB)
http://www.biologico.sp.gov.br/

FONTE PDF:

http://www.biologico.sp.gov.br/docs/bio/suplementos/v68_supl/p025.pdf






Nenhum comentário:

Postar um comentário